O tempo de trabalho que o funcionário realiza além de sua jornada diária, podendo ser ela diurna ou noturna, chama-se hora extra. Esse período trabalhado a mais pode ser requerido pelo empregador, desde que sejam cumpridos os cálculos de remuneração adicional. Para garantir seus direitos, o empregado pode acompanhar essa conta na ponta do lápis. Basta anotar tudo e seguir as orientações abaixo para saber como calcular as horas extras.

Como calcular as horas extras?

A determinação destas regras é dada pelo regime CLT (Código das Leis Trabalhistas). Segundo esses cálculos estabelecidos por lei, os valores adicionais devem constar na folha de pagamento e serão levados em consideração nos processos trabalhistas – férias, rescisão, 13º e outros benefícios.

O valor utilizado como base para calcular as horas extras é o próprio salário registrado em carteira do empregado. Portanto, você deve antes determinar as horas de trabalho dividindo o número de horas trabalhadas da semana pelo número de dias ativos e só então multiplicar o resultado por 30 para obter a base mensal. Nesse cálculo você pode conferir qual o valor do seu salário por hora, é só dividir a remuneração total pelo número de horas trabalhadas – este é o seu salário-hora. Para fazer o cálculo certo do pagamento pelas horas extras, portanto, você deve somar ao salário-hora o percentual equivalente ao período excedido.

O abono mínimo concedido ao trabalhador sobre o salário-hora é de 50%, podendo chegar a 100% se ele cumpriu horas extras no período da noite (adicional noturno), nos domingos ou feriados. Portanto, para cada hora a mais que você trabalhar, você pode ganhar mais metade da sua hora-salário ou o dobro do valor dependendo o horário ou o dia da semana.

Muitas empresas trabalham hoje com banco de horas, que já foi regulamentado pelo CLT, mas muitas empresas o praticam de forma totalmente irregular e quem sai perdendo é o empregado. Para validar o sistema na empresa, uma série de recursos precisam ser definidos especificamente junto ao Ministério do Trabalho e ao sindicato da categoria, portanto vale conferir se essa questão está bem resolvida na sua empresa. Caso contrário, você tem o direito de exigir seu pagamento pelas horas extras.

Receba mais sobre "Como calcular as horas extras?" e outros artigos do Como Fazer Online no seu e-mail. É grátis!



4 Comentários

  • ana says:
    eu trabalhei em uma empresa 4meses e ela veio a fechar, estou com meu pagamento do mês de maio e metade do mês de junho sem receber ele disse que vai pagar todos os funcionários,mas até agora nada ele fez. Posso sair prejudicada com isso? tem colega que tem 3 meses sem receber.O que devo fazer?
  • trabalhador says:
    trabalho numa empresa chamada(fricalor)opero maquina industrial mas na carteira de trabalho é assinada como auxiliar de produção,e as extras que fazemos não é apontada no cartão de frequencia,apenas assonamos um papel descriminando o tempo que passamos trabalhando,o que eu faço sei que estou sendo lesado.

  • andeson says:
    trabalho como frentista recebo o valor menor do que vem no contracheque. trabalho oito horas por dia sendo que cada semana em um turno ha seguir das 7 hs da manha ate as 3 hs da tarde, das 3 da tarde ate 11 hs da noite, das 11 hs da noite ate as 7 hs da manha, e nos domingos trabalhamos 12 hs, das 8hs da manha ate 8hs da noite, ou das 8 hs da noite ate 7da manha. Sem direito a hora extra, sem horario para almoço, sem adicional noturno, sendo uma folga por mês.

    por favor me ajude nao aguento mais ja cobramos do patrao mas ele nada faz. Somos tres frentistas.

    Muito obrigado

  • Elizabete says:
    Eu quero saber se quando tiro férias se o patrão pode descontar faltas cometidas durante o ano,já que no mês da falta, já foi descontada no contra cheque? O pagamento das férias pode ter descontos? O patrão pode pagar as férias sem o aumento do dicídio do sindicato?E as parcelas do dicídio podem ficarem atrasadas ?
    Muito Obrigada,estou esperando as respostas.


Faça um Comentário