Como correr para perder peso

A corrida é o meio mais fácil para perder quilos extras. Confira como correr para perder peso.

Por motivos estéticos ou de saúde, muitas pessoas querem eliminar os pneuzinhos da cintura, os culotes nos quadris e a famigerada celulite. Tanto o sobrepeso, quanto a obesidade acarretam doenças e limitações físicas, mas deixar o sedentarismo quase nunca é uma tarefa fácil. Por isto, correr para perder peso é uma das melhores opções: a prática não requer acessórios e equipamentos especiais (apenas roupas e tênis confortáveis) e pode ser feita ao ar livre ou em esteiras, sempre respeitando os próprios limites.

Publicidade

Mesmo quem não é considerado obeso pode ter problemas com a balança. A partir dos 30 anos, o metabolismo se torna progressivamente mais lento – isto é, consome menos energia para realizar as atividades vitais. Mas os hábitos alimentares não se alteram e, com isto, quatro ou cinco quilinhos extras se instalam, prejudicando a boa forma e o fôlego, e eles são bem difíceis de serem eliminados.

As calorias não utilizadas são transformadas em gordura, que fica armazenada estrategicamente, para quando o organismo precisar, especialmente no abdômen e quadris. Oito calorias equivalem a um grama de gordura. Parece pouco, mas a gordura vai sendo acumulada lentamente. Um copo de suco de laranja além das necessidades nutricionais diárias (em média, 2.000 calorias para um adulto) contribui com 115 calorias; uma lata de refrigerante, com 150; três chopes na happy hour equivalem a 540.

Neste caso, sem dietas nem exercícios que exijam maior esforço, correr ajuda a recuperar a forma física. No momento em que se começa a correr, as calorias já estão sendo queimadas, mas é depois de 20 minutos de treino que a queima de gorduras se intensifica. Com quatro corridas de meia hora por semana, é possível perder dois ou três quilos em um mês, de acordo com o biotipo de cada um.

Publicidade

Mas é preciso observar que a corrida é um exercício aeróbico que causa impacto nos músculos, articulações e ossos, e por isto não é recomendável que seja praticada diariamente. Quem quer acelerar a perda de peso pode alternar dias de corrida e caminhada.

Para saber o ritmo que deve ser impresso à corrida, educadores físicos aplicam uma fórmula simples: 220 menos a sua idade. Assim, uma pessoa de 40 anos tem uma frequência cardíaca máxima de 180 batidas por minuto. Durante o exercício, a frequência deve ficar entre 60% e 80% deste valor: de 108 a 144. É recomendável consultar um médico antes de iniciar os treinos, para verificar as condições gerais de saúde.

Uma vez que o treinamento não tem como objetivo transformar a pessoa num velocista e disputar corridas oficiais, mas apenas condicionar o corpo, o mais importante é a regularidade durante todo o tempo, que pode ser ampliado progressivamente durante os dois ou três primeiros meses. Provavelmente, depois deste prazo, o novo atleta já terá atingido a sua meta e não precisará realizar maiores esforços, a menos que queira perseguir outros objetivos, como ganhar massa muscular.

Para não desanimar, especialmente naquelas manhãs frias e chuvosas ou no dia seguinte à balada, o ideal é organizar grupos, para que os membros se estimulem mutuamente. O melhor horário é logo pela manhã. Entre 10h e 16h, corridas ao ar livre devem ser evitadas, por causa da exposição ao Sol. Depois deste horário, especialmente nas grandes cidades, a alta concentração de ozônio reduz a capacidade aeróbica.

Nas academias, o ambiente climatizado proporciona maior conforto e os treinos podem ser assistidos por educadores físicos, que podem corrigir as passadas, controlar o ritmo cardíaco e sugerir outros exercícios para maximizar os efeitos das corridas. Para muitas pessoas, no entanto, o ambiente é desmotivador e, mesmo pagando as aulas com antecedência, perdem o estímulo inicial e acabam desistindo.

Publicidade

Comente