Saiba como prevenir problemas que afetam este meio de comunicação

Uma das principais formas de se comunicar é por meio do uso da voz. Apenas pelo timbre emitido pelas cordas vocais conseguimos notar se uma pessoa próxima está cansada, triste, alegre, eufórica, nervosa, estressada etc.

Como cuidar da voz

Às vezes, por puro descuido, acabamos sofrendo abalos neste meio de comunicação e há pessoas que até enfrentam doenças que as fazem perder a voz. Prevenção é sempre essencial para cuidar da saúde e para manter as cordas vocais em dia, não seria diferente.

Especialistas no assunto explicam que a rouquidão, a falha no falar e o timbre monotônico são indícios de que as cordas vocais podem não estar funcionando bem por problemas anatômicos, falhas na técnica de respiração, distúrbios neurológicos ou outros problemas de saúde.

As cordas vocais são músculos que se chocam conforme vibram com a passagem do ar, gerando o som. Assim como outras partes do nosso corpo, se não usada, ela pode enfraquecer, atrofiar, mas se usada erroneamente, também vai trazer problemas. Prova disso é que as principais anomalias presentes nesta parte do corpo são cistos, pólipos e nódulos, comumente associados ao mau uso da voz.

Forçar demais para falar mais alto, falar muito ou tentar engrossar a voz para parecer mais velho são alguns dos fatores que geram o inchaço das cordas vocais e, a partir daí, outros problemas, mais sérios, podem surgir e que não desaparecem simplesmente com o repouso e um chá quentinho, como as infecções que afetam estes músculos.

Ao longo da vida a nossa voz também se transforma sem que isso seja um sinal de que algo está errado. Nos adolescentes, por exemplo, os hormônios geram um engrossamento das cordas vocais que deixam a voz mais grave. Só que até os hormônios terminarem de agir, há flutuações no timbre da voz – problema que some sozinho, basta ter paciência. Para quem não está na puberdade, por outro lado, variações no timbre devem ser avaliadas por um especialista para checar se não é algum sinal de doença neurológica, como Parkinson, ou disfonia espasmódica, um tipo de alteração nas cordas vocais que pode ser tratada com aplicações de toxina butolínica.

Para manter a saúde das cordas vocais sempre em ordem é preciso estar sempre bem hidratado, pois elas precisam de água para evitar a fadiga; evite as pastilhas, pois elas tendem a ressecar a garganta; enxágue a boca sempre que usar remédios, em especial os inaladores de asma; cante para melhorar a performance da voz, mas sem forçar em tons altos e sem gritar; evite álcool e cigarro, que irritam a mucosa bucal e ainda a desidratam.

Receba mais sobre "Como cuidar da voz" e outros artigos do Como Fazer Online no seu e-mail. É grátis!



Faça um Comentário