Como eliminar cravos

Saiba como dar fim ao problema

Eles surgem do dia para a noite, mas parece que todo mundo é capaz de notar os pontinhos pretos que se alojam pela pele. Sim, estamos falando dos terríveis cravos.

De uma família de aracnídeos que chegam à pele carregados pelo ar, os cravos se alimentam da oleosidade produzida pelas glândulas sebáceas, fazendo com que aqueles que têm pele oleosa sejam os principais eleitos para que eles se alojem na pele e comecem seu banquete. Os locais preferidos para o surgimento dos cravos são a zona T do rosto (testa, nariz e queixo), ombros, costas e peito. Quando cutucados, os cravos podem inflamar, gerando espinhas doloridas e purulentas que podem deixar a pele com cicatrizes para o resto da vida.

Publicidade

A principal dica dos especialistas para se livrar do problema é nunca cutucar o cravo para tentar arrancá-lo. Resista a essa tentação, em especial se o cravo tiver se transformado em uma espinha. Ninguém quer carregar marcas na pele de um problema tão simples, certo?

Um dos primeiros passos para acabar com os cravos é esfoliar a pele ao menos duas vezes por semana para remover as células mortas e amaciar a cútis. Além de deixar a pele mais lisa e brilhante, este tipo de procedimento remove as impurezas e colabora para que os cravos fiquem distantes do seu rosto. Há diversos produtos disponíveis no mercado para esta finalidade, mas quem quiser poupar alguns trocados, pode fazer uma máscara em casa com fubá e um pouco de iogurte natural, formando uma papa bem grossa que deve ser aplicada no rosto com movimentos circulares e o auxílio de um chumaço de algodão, sendo a pele enxaguada em seguida, preferencialmente com água fria.

Publicidade

Outro procedimento importante é higienizar bem o rosto diariamente para limpar a pele e evitar que as bactérias se proliferem por ali. Pode-se ainda investir em produtos que fazem limpeza profunda, como máscaras, que ajudam a remover a oleosidade que se deposita profundamente na cútis, “matando de fome” os cravos.

Beber bastante água diariamente também ajuda a hidratar a pele de dentro para fora, colaborando para minimizar a oleosidade e, consequentemente, o problema dos cravos.

O dermatologista deve ser consultado sempre que surgirem dúvidas ou caso nenhum dos procedimentos citados acima colaborarem para o fim do problema. Apenas o profissional será capaz de orientar o paciente adequadamente a respeito de qual o melhor tratamento a ser adotado para remover a oleosidade da pele de forma segura e efetiva, prevenindo cravos e espinhas e melhorando o aspecto do órgão.

Publicidade

Comente