Como escolher o tênis certo

Para cada atividade, existe um tipo ideal. Descubra como escolher o tênis certo.

Nas lojas de calçados, a variedade de modelos e estilos impressiona e chega a dificultar a escolha. A parte boa é que são inúmeras cores e detalhes. Na verdade, design, beleza e preço costumam pesar mais na compra, mas os principais itens para escolher o tênis certo são: conforto, amortecimento e material aerado, que permita a transpiração. Pés úmidos são fonte de desconforto e de uma série de males, como bolhas e micoses.

Publicidade

Antes de ir às compras, é preciso lembrar-se de alguns pontos importantes: o melhor momento para adquirir um tênis é depois do exercício ou no final de um dia cheio de atividades, porque os pés ficam mais inchados.

É preciso conhecer o tipo de pé, pois já existem modelos de tênis adequados para supinadores (que pisam para fora), pronadores (pisam para fora) e neutros. Os arcos dos pés também devem ser analisados; palmilhas ajudam a compensar pés chatos, arqueados e superarqueados.

Para experimentar os tênis, calce as meias utilizadas para as práticas esportivas (com relação às meias, dê preferência às de algodão e sem costura). Com os pés calçados, certifique-se de que os dedos podem mover-se com comodidade dentro do calçado. O calcanhar precisa estar bem fixado entre as laterais do tênis.

Publicidade

Os cadarços devem estar firmes, para os pés não “dançarem” dentro dos tênis; apesar de muita gente sentir-se mais confortável com os cadarços afrouxados, isto causar dores após os treinos e mesmo lesões nos tendões, articulações e ossos dos pés.

Ande um pouco, ou mesmo corra alguns passos com os tênis. Algumas lojas especializadas disponibilizam esteiras para os clientes experimentarem os tênis. Bata a sola dos tênis no chão. Se fizer muito barulho, é sinal de que o amortecimento não é dos melhores.

O tênis de cada um

Existem tênis específicos para caminhadas, corridas, trilhas e esportes e, entre estes, cada um tem suas necessidades. Basquete e vôlei, por exemplo, exigem mais impacto do que o futebol de salão, por exemplo, e necessitam de amortecedores que favoreçam os bloqueios e bandejas. Como o desgaste é maior, devem ser substituídos em prazos menores.

No vôlei, o amortecimento deve ficar no bico do tênis porque, depois de um forte impulso, o atleta toca o piso com a ponta do pé, para depois pousar o calcanhar.

Solas de borracha com ranhuras, as mais adequadas para prevenir torções, dão segurança na movimentação e impedem as quedas quando o piso fica molhado durante o jogo.

Quem pratica basquete deve escolher modelos de cano longo, que conferem maior estabilidade ao tornozelo durante os muitos saltos dos jogos. O solado ideal com espirais, que formam um círculo na parte de frente dos tênis, fator que melhora os movimentos de rotação; sem esta proteção, o jogador pode inclusive romper os ligamentos do joelho.

Para quem pratica futebol de campo, as travas nas chuteiras são fundamentais. Sem elas, os pés afundam na grama e prejudicam a velocidade necessária para o esporte, além de poder causar lesões nos arranques e mudanças de direção.

Já para o futsal, por causa das dimensões menores da quadra, a agilidade é fundamental. O solado deve ter ranhuras para garantir a estabilidade do jogador. A borracha reduz o atrito com o piso. A biqueira deve ser reforçada e acolchoada, para reduzir o impacto da bola. Sem esta proteção, unhas e dedos poderão ser lesionados.

No futebol society, a principal diferença está na sola. O esporte é praticado em grama artificial, que é muito escorregadia e, por isto, a escolha do tênis deve levar em conta a estabilidade. O solado com gomos curtos melhora o equilíbrio.

Para a corrida, os solados muito altos são contraindicados, porque desestabilizam os movimentos. As molas não devem ser muito grandes e espaçadas, porque elas diminuem o rendimento e podem causar traumas. Muito cuidado com o tipo de pisada, pois se ela for pronada ou supinada e não houver compensação na palmilha, até a coluna vertebral pode ser afetada.

Muita gente faz caminhadas com todo tipo de calçado, dos sociais aos chinelos, totalmente reprovados pelos educadores físicos, pois causam prejuízos dos dedos dos pés à coluna cervical. É preciso escolher um tênis de boa qualidade, com boa estabilidade. As exigências são bem menores do que as indicadas para a corrida, mas seguem a mesma linha: conforto, amortecimento e as palmilhas certas.

Já para quem curte academia, o leque de opções aumenta bastante. Os frequentadores devem ser preocupar essencialmente com o conforto, já que os equipamentos – esteira, step, bicicleta ergométrica, etc. – já são desenhados para reduzir o impacto.

O Instituto Brasileiro de Tecnologia do Couro, Calçados e Artefatos (IBTEC) lançou um selo de garantia de qualidade de calçados produzidos no Brasil e diversas fábricas já submetem seus produtos à avaliação. É um diferencial de mercado, mas nem todos os fabricantes aderiram ao instituto.

Publicidade

Comente