Como escolher um sócio para sua empresa

Quer abrir seu próprio negócio? Analise os prós e os contras e veja como escolher um sócio para sua empresa.

Abrir seu próprio negócio é o sonho de muitos brasileiros. Alguns, porém, se sentem mais seguros se têm um sócio para ajudá-los a enfrentar a empreitada. Mas antes de qualquer coisa, você deve pensar bem em quem vai escolher. Não importa se é parente ou um amigo. Confiança, afinidade e objetivos iguais fazem parte da escolha de um sócio. Caso você queira abrir uma empresa de venda de marmitas, um dos sócios se encarregará da confecção dos pratos e o outro da administração do negócio. Esse é apenas um exemplo, mas que mostra bem como são as coisas na prática. O fundamental é que os conhecimentos se completem para a empresa ir em frente.

Publicidade

Quem vê a necessidade de ter um sócio para tocar o negócio precisa ter em mente que as decisões são todas tomadas em conjunto e por isso a afinidade é tão importante. Harmonia é a palavra chave. Se as relações começam a ficar estremecidas por um ou outro motivo, a confiança vai embora e é praticamente inevitável que a sociedade se desfaça mais cedo ou mais tarde.

No momento de o contrato social ser firmado, é necessário que as funções de cada sócio sejam estabelecidas. Especialistas sugerem que a administração seja compartilhada e que todos que têm participação na empresa saibam, desse modo, tudo o que está acontecendo.

Muitas pessoas evitam abrir negócio com familiares, pois a relação profissional e pessoal pode se misturar. Apesar de ser um risco, ter um parente como sócio tem tudo para dar certo, desde que já no início da sociedade se estabeleçam todas as questões. E lembre-se: discussões pessoais e profissionais não se misturam.

Publicidade

Estipule um pró-labore para cada sócio. Isso evita que haja saques para uso próprio, desestabilizando a situação financeira da empresa.

Em relação aos colaboradores, é preciso que fique bem definido quem será o responsável por eles. Evite que todos os sócios deem ordens, gerando confusão acerca de quem manda ou não. O sócio que cuida da parte administrativa se encarrega desta área, resolvendo todas as situações correspondentes. E isso deve ficar também bem claro a cada colaborador.

A sociedade tem tudo para dar certo quando as reuniões entre os sócios acontecem diariamente ou sempre que surge uma nova questão. Se possível, reserve um horário específico para esses encontros, que podem acontecer antes do expediente, quando a correria ainda nem começou.

No momento de fazer o contrato social, é preciso que conste o nome dos sócios e especificar o que cada um investiu para abrir a empresa. Nem sempre esse investimento vem na forma de capital. Podem ser bens como computadores, móveis, carro. É nesse mesmo documento que se define a porcentagem que cada sócio tem por direito na empresa. Procure fazer tudo dentro da lei para não haver problemas mais tarde.

Publicidade

Comente