Como evitar a depressão pós-férias

As férias estão acabando e bateu aquela tristeza? Saiba que isso é bastante normal. Leia o texto abaixo e veja como evitar a depressão pós-férias.

Voltar à rotina de acordar cedo, tomar café correndo e enfrentar congestionamento para o trabalho é um dos motivos que levam à famosa depressão pós-férias.

Publicidade

Readaptar-se ao batente nem sempre é motivo de satisfação para um grande número de pessoas. Muitas até resistem a gozar férias com medo da tensão do retorno.

Pesquisas já revelaram que pessoas mais sensíveis a esse tipo de depressão são aquelas que operam na área financeira, da saúde e informática. Quem não trabalha no seu ramo de formação também pode ficar mais vulnerável. Leia as dicas abaixo e veja como evitar a depressão pós-férias e ter um retorno às atividades mais tranquilo:

– Gozar férias de trinta dias nem sempre é interessante para quem sofre do problema. A sugestão é tirar períodos mais curtos e mais seguidos um do outro;

Publicidade

– Se você passou suas férias afastada da sua cidade ou país, evite voltar em cima da hora. O recomendado é retornar com um prazo de antecedência de 24h à 72h antes do término das férias para que haja tempo de você começar a se adaptar à rotina de sempre;

– Começar a acordar cedo de uma hora para outra pode ser desgastante. Tirar o vestidinho leve de verão para trajar uma roupa mais formal também pode ser um pouco deprimente. A dica é começar a se levantar um pouco mais cedo, sair da frente da televisão e passar a se mexer mais, principalmente se a rotina de férias for bem diferente da sua rotina quando trabalha;

– Outro motivo que preocupa muito as pessoas no retorno das férias é o serviço acumulado. Bem, uma coisa há de ser lembrada. Sempre haverá serviço, ele não irá acabar. Papéis sempre estarão na sua mesa, os telefones continuarão tocando e o serviço permanece independente da sua ausência ou presença. Então, nada de estresse. Se estiver demais, delegue funções ou avise seu chefe que você está sozinho para dar conta de tanta coisa. Antes de começar a pegar na papelada, faça uma análise de tudo e eleja prioridades.

– A falta de desafios no emprego, promoções que não saem e salário incompatível com o que você acha que merecia ganhar, podem ser o empurrãozinho que você precisa para dar um basta. Se o seu emprego não é aquilo que você sonhou, que tal elaborar um currículo, aumentar a rede de contatos e sair à luta? Motive-se. Passar anos a fio em um lugar que não lhe traz satisfações pode sim, ser uma das causas da depressão. Pense nisso.

Publicidade

Comente