Como evitar doenças típicas do verão

O verão é tudo de bom, mas o calor e a umidade típicas dessa época podem causar alguns desconfortos. Leia o texto abaixo e veja como evitar doenças típicas do verão.

Quem curte o verão sabe que alguns males são decorrentes da estação mais quente do ano. Micoses, intoxicações alimentares estão entre eles. Afaste esses incômodos da sua vida!

Publicidade

 

Confira como evitar doenças típicas do verão para aproveitá-lo em toda sua intensidade:

Micose

As micoses são muito frequentes no verão. Pele molhada, areia e toalhas que não são secadas adequadamente podem causar coceira, inflamação e descamação na pele. O motivo? A proliferação de fungos que adoram umidade. Se você começar a sentir os sintomas descritos acima, vá a um médico antes que eles piorem. A micose pode acabar com dias preciosos do seu verão. Depois da praia, seque bem a pele e evitar andar em lugares úmidos com os pés descalços.

Ouvidos

Os ouvidos merecem uma atenção especial no verão. Depois de cada mergulho, seja no mar ou na piscina, enxugue-os cuidadosamente. As bactérias se proliferam em ambientes úmidos e abafados, causando inflamações. Portanto, se você sentir uma incômoda sensação como se estivesse com o ouvido cheio de água, aliado a alguma secreção, fique atenta.

Publicidade

Bicho geográfico

A areia e a grama são o habitat do famoso bicho geográfico. Presente nas fezes de cães e gatos, quem tempo por hábito não usar chinelos e pisar direto no chão corre um sério risco de ter esse parasita como visitante indesejado. Ele tem esse nome por penetrar na pele e ir fazendo um caminho por onde passa. Ele costuma atacar pés, mãos, pernas, nádegas e barriga.

Sol

O grande astro do verão também pode incomodar bastante se nós não tomarmos os cuidados necessários. O horário para tomar banho de sol todo mundo sabe, mas não custa
lembrar. Até as 10 horas da manhã e depois das 16 horas. Ficar muito tempo exposto ao sol, além de aumentar os riscos de um câncer de pele, também pode causar insolação. Os sintomas mais comuns são dores de cabeça e no corpo, tonturas, vertigens, falta de ar, mal-estar geral, náuseas e aumento da temperatura no corpo.

Insolação não é brincadeira. Não economize no protetor solar e use e abuse de água.

Intoxicação alimentar

Nem todas as pessoas se preocupam com o lugar onde costumam fazer suas refeições. E todos nós sabemos que muitos estabelecimentos comerciais não tomam os devidos cuidados durante a preparação dos alimentos. Na praia é a mesma coisa. Assim como há barraquinhas que seguem rigorosamente todas as normas de higiene, têm outras que não é tanto assim. Cuidado ao comer fora de casa, pois as altas temperaturas estragam os alimentos mais rápido. Isso não significa que você deve relaxar na sua própria cozinha. Lave todos os alimentos, não use frituras e conserve-os na geladeira.

Candidíase

Ficar com o biquíni molhado não faz nada bem. A umidade e o abafamento provocam a proliferação de fungos, causando a candidíase. Os sintomas são ardência ao urinar, irritação e coceira na região vaginal. Não fique com o biquíni mais tempo que o necessário. Lave-o bem e ponha para secar sob o sol. Habitue-se a usar calcinhas de algodão, principalmente se você tiver tendência a candidíase.

Olhos

A conjuntivite é uma das grandes inimigas no verão. Coceira no olho, ardência, sensação de areia nos olhos podem ser sintomas de conjuntivite bacteriana. A água do mar e da piscina são o lar dessas bactérias. Não adianta esperar passar sozinha. A conjuntivite precisa de tratamento médico.

Areia

Está certo que mar, areia e sol tem tudo a ver. Mas previna-se de infecções. Jamais sente diretamente na areia. Use uma toalha ou uma canga para se proteger.
Tome os cuidados necessários e passe seu verão numa boa.

Publicidade

Comente