Pegue varetas japonesas, folhas de papel-seda, linha e cola branca: está na hora de fazer papagaios e pipas.

Pandorgas, quadrados, arraias, pepetas, califas, papagaios e pipas: muitos nomes para a mesma diversão. Empinar pipas é uma atividade lúdica realizada ao ar livre, que envolve várias habilidades para manter o brinquedo no ar, estimula a coordenação motora e alia diversos exercícios, como andar, correr e saltar.

Como fazer papagaios e pipas

A brincadeira pode começar ainda antes, na hora de fazer as pipas que serão empinadas. O material é simples: varetas, papel-seda, linha nº 10 e cola branca, tudo muito fácil de encontrar em qualquer papelaria. Para cortar, é preciso de régua, tesoura e estilete. Crianças pequenas devem se ocupar de outras tarefas, como colar e cortar o papel vincado com linha, enquanto os pais usam os instrumentos de corte.

As pipas existem há mais de três mil anos. Na China, era usadas como sinalizadores nas batalhas: as cores e os movimentos transmitiam ordens para os guerreiros. Para virar brinquedo, foi só um passo. Hoje, crianças do mundo todo se divertem com o passatempo, enquanto adultos desenvolvem projetos imensos e complicados para apresentá-los em campeonatos e festivais.

Para quem está começando, o formato mais fácil é o peixinho. Cruzam-se dois pedaços de vareta (o menor no sentido horizontal), passa a linha pelas quatro extremidades. Em seguida, amarra-se outro pedaço de linha com alguma folga entre as pontas da vareta horizontal e, no meio, outro pedaço de linha entre as pontas da vareta vertical. O ponto em que estas duas linhas se unem é o local onde será amarrada e linha para empinar.

Com a estrutura pronta, basta colocá-la sobre o papel e colá-la (use pouca cola). Na hora de cortar o papel, deixe uma folga, para dobrar sobre as linhas e colar papel contra papel.

O voo pode ficar melhor nas pipas cariocas ou maranhão. A receita é a mesma, com a única exceção de que o formato é quadrado. Antes de amarrar as duas varetas, encurve a vareta horizontal, deixando-a como se fosse um arco para lançar flechas. Se usar duas varetas horizontais, vai obter uma pipa em forma de pentágono.

A pipa pode ter uma única cor, mas as bem coloridas ficam mais bonitas. Para os peixinhos e maranhões, basta recortar quatro pedaços retangulares de duas cores colá-los intercalados. Elas também podem ser listradas e algumas lojas vendem o papel-seda decorado.

As pipas precisam de estabilidade para voar, e é a rabiola quem garantir isto. É só amarrar outra linha na ponta inferior da vareta vertical a amarrar fitas de papel-seda a cada oito ou dez centímetros. O número de fitas depende do vento e do peso da pipa: vai ser descoberto com o método de tentativa e erro.

Para pipas mais pesadas, a rabiola pode ser feita com tiras de saco de lixo. Nas laterais inferiores da pipa, podem ser coladas faixas de papel-seda picotadas (faixas de 5cm, picotadas a cada 2cm). Neste caso, pode não ser preciso usar a rabiola.

Com a prática, é possível fazer modelos mais sofisticados, como borboletas, aviões e inventar formatos novos. Basta usar a criatividade. Não se esqueça: empine as pipas longe da rede de eletricidade e não use cerol (vidro moído misturado com cola, passado na linha de empinar). A prática e perigosa e, no Brasil, é crime.

Veja abaixo os vídeos de como fazer papagaios e pipas.

Receba mais sobre "Como fazer papagaios e pipas" e outros artigos do Como Fazer Online no seu e-mail. É grátis!



Faça um Comentário