Como fazer um jardim de borboletas

Um jardim de borboletas não é apenas bonito: elas polinizam as plantas e auxiliam na reprodução e manutenção.

Flores aladas, as borboletas são relaxantes e bonitas. Observar seu voo alivia o estresse e faz o tempo passar mais depressa, especialmente naqueles momentos em que estamos ansiosos por uma notícia. Para fazer um jardim de borboletas, são necessárias algumas providências. Em primeiro lugar, é preciso identificar as espécies que vivem na região. Cada espécie se associa a plantas específicas e tem necessidades diferentes de umidade do ar e temperatura.

Publicidade

De acordo com o espaço disponível – que pode ser um grande jardim ou uma pequena sacada – escolha as plantas colonizadas pelas borboletas da região. Para que elas se aproximem, é preciso que o local seja ensolarado e protegido do vento forte. As plantas ideais são as bem coloridas – podem ser flores ou folhagens – e perfumadas. Os insetos são atraídos principalmente pelo aroma. Para garantir a estabilidade do jardim de borboletas, escolha espécies vegetais que floresçam o ano todo, ou escolha vários tipos, para ter cores variadas na maior parte do tempo.

Quem só dispõe de jardineiras e floreiras precisa se certificar da qualidade do solo. Remexa a terra antes de plantar as mudas e verifique se as espécies escolhidas são indicadas para estas condições limitadas: será preciso escolher plantas com poucas raízes e adequadas ao clima local.

A budleia, nativa da China, é um ímã de borboletas. No Brasil, ela floresce entre julho e outubro, é bastante resistente ao Sol e o arbusto atinge até três metros de altura (bem menos, quando plantado num vaso). As flores são caducas, isto é, mantêm a aparência colorida, mesmo depois que perdem o pólen. Em inglês, a budleia é chamada de butterfly tree (árvore de borboletas).

Publicidade

As borboletas precisam de local para repousar. Coloque pedras (as de rio são as mais indicadas) entre as plantas, com espaço suficiente inclusive para reprodução. Estes insetos iniciam a aproximação durante o voo, mas algumas espécies efetivam a cópula em terra firme. Junto às pedras, coloque uma fonte de água. Para evitar os mosquitos, o ideal é que a água seja corrente. Existem pequenas fontes movidas a energia elétrica a preços baixos, oferecidas em lojas de plantas.

Algumas espécies de borboletas não se alimentam de néctar. Elas podem comer frutas maduras, seiva de troncos (uma pequena romãzeira de jardim, com 50 cm de altura, já provê esta necessidade), carniça e até estrume, mas estes estão presentes em qualquer terreno, por causa da presença de estrume.

Existe uma receita caseira de néctar, conhecida como açucarar. Basta misturar uma lata de cerveja, meio quilo de açúcar, um pouco de melado e frutas maduras, tudo batido no liquidificador. Basta lambuzar os caules de algumas plantas e as borboletas estarão no paraíso. Esta receita, no entanto, não é indicada para terrenos infestados por formigas.

Conforme o jardim for crescendo, as borboletas se aproximarão. Em geral, elas não se incomodam com a presença humana, mas certamente se afastarão se houver predadores por perto, como os gatos.

Borboletas são sensíveis a qualquer tipo de pesticida. Portanto, para mantê-las por perto, decorando e vitalizando o jardim, é preciso abdicar do uso de qualquer inseticida e dos adubos industriais. Mas é possível manter os insetos indesejados longe de casa: basta plantar algumas mudas de manjericão, eucalipto aromático, arruda, jasmim, cânfora, andiroba, citronela ou poejo, que são repelentes naturais.

Algumas pessoas têm medo fóbico de borboletas: é a motefobia. Mas mesmo para elas um jardim de borboletas é indicado. O melhor tratamento para as fobias é a dessensibilização, ou exposição direta e frequente ao animal ou objeto que gera o pavor injustificado.

Publicidade

Comente