Como fazer um mapa astral

Está tudo nas estrelas? A astrologia diz que os astros influenciam no nosso temperamento.

Em princípio, o ideal é consultar um astrólogo, já que a confecção de um mapa astral depende de tabelas e dados trigonométricos para indicar a posição dos astros no momento do nascimento. Mas existem vários sites que fazem os cálculos quase imediatamente. Alguns sites pedem um cadastro com dados pessoais e e-mail. Se você não quiser sua caixa postal invadida por ofertas, é melhor procurar um que calcule o mapa na própria página.

O segundo passo é a interpretação do mapa astral. Mas antes de fazer e interpretar, vamos definir o que é.

Publicidade

O mapa astral é a representação da posição aparente dos planetas, Sol e Lua no momento do nascimento de uma pessoa. É calculado a partir da data e hora do nascimento, porque os planetas mais próximos Sol e Lua podem passar de uma casa astrológica para outra em poucas horas (de escorpião para sagitário, por exemplo). Os planetas mais distantes passam meses e até anos na mesma casa astral; nesse caso, representariam características de uma geração.

Este é o mapa astral de uma pessoa hipotética que nasceu em São Paulo, dia 24.7.1982, às 6h40min.

Publicidade

A cidade (a localização geográfica) é importante para situar a posição central no mapa astral. A latitude de São Paulo é 23,3º Sul e a longitude, 46,6º Oeste. É preciso fazer algumas adequações e aproximar São Paulo do “centro da Terra” (latitude 0º, longitude 0º). Isto não era necessário para os caldeus, que inventaram a astrologia, mas o mundo “cresceu” bastante nos últimos quatro mil anos. A hora indica o ascendente (o signo que “ascendia” no horizonte no momento). Para a astrologia, o zodíaco é um círculo com as 12 constelações (signos) que gira em torno da Terra. Os planetas (a palavra em grego significa “errante”) caminham por estas constelações. A data informa o signo solar (aquele que é consultado nos horóscopos de sites e jornais), isto é, em que grau do círculo o Sol transitava no dia do nascimento.

Assim, nosso amigo imaginário é de Leão (o Sol transitava por Leão no dia do seu nascimento), mas o ascendente é Câncer, que por isso ocupa a primeira casa. Isso determina, por exemplo, que este amigo tem um conflito entre ser (casa I) e ter (casa II), já que dois pontos fortes do mapa se atritam.

O mapa mostra ainda aspectos positivos: conjunções (quando os planetas estão a poucos graus de distância), trígonos (a 30º) e sextis (60º). Há também atritos: oposições (distância próxima a 180º), quadraturas (90º) e quincúncios (72º).

Todos os signos, a casa em que estão e os aspectos positivos influenciam na interpretação, que é um longo exercício de reflexão para quem acredita, ou uma grande perda de tempo para os céticos.

Publicidade

Comente