Como limpar e reenergizar os chakras

São discos ao longo do tronco que captam energias, mas é preciso limpar e reenergizar os chakras para receber boas vibrações.

A palavra chakra é sânscrita e significa roda ou centro. O primeiro registro sobre o assunto está nos Vedas (livros sagrados do Hinduísmo, escritos por volta de 1500 a.C). Muitos videntes afirmam identificar os chakras como verdadeiros redemoinhos de velocidades e cores diferentes que, no Oriente, captam o prana – a energia vital – mas para tanto é preciso que estejam desobstruídos. Sabia como limpar e reenergizar os chakras.

Publicidade

São sete os chakras principais: básico ou raiz (no períneo), genésico (sobre os genitais), gástrico ou umbilical (na altura do umbigo), cardíaco (sobre o coração), laríngeo (na parte frontal da garganta), frontal (entre os olhos) e coronário (no alto da cabeça). No Brasil, os nomes aqui apresentados foram adaptados pelos espíritas, que utilizam os chakras na aplicação de passes (tratamentos espirituais) e incluem também o chakra esplênico (do lado direito superior do abdômen, sobre o baço).

Localização e manipulação dos chakras

Algumas correntes consideram que estes discos sejam internos, ligados por canais semelhantes aos meridianos estudados pela Medicina Tradicional Chinesa; para outras, eles estão situados a poucos centímetros do corpo humano (na aura – o campo energético comum a todos os seres), mas relacionam-se diretamente a órgãos físicos.

Enquanto os quatro primeiros estão relacionados a necessidades humanas, como sexualidade e alimentação, os superiores estão ligados à espiritualidade e a dons mediúnicos.

Publicidade

De acordo com estas doutrinas, a Terra absorve energia do Sol e a armazena no subsolo: é o kundalini, descrito como um fogo que sobe serpenteando. O kundalini é absorvido pelo chakra básico, responsável por manter a ascensão da energia e transmiti-la aos demais centros. A reenergização adequada dos chakras fortalece o autoconhecimento e abre canais de comunicação em entidades mortas ou sobrenaturais.

Para reenergizar os chakras, é preciso estar relaxado. Muitas técnicas adotam músicas tranquilizantes, aromas, pedras, redução da iluminação, etc. Outras entendem que basta deitar-se ou sentar-se confortavelmente e tocar com a mão cada um dos chakras (segundo muitos autores, é possível sentir o quantum de energia sendo elevado e transmitido para estes discos). Iogues e adeptos de doutrinas orientais costumam adotar a posição de lótus (sentado, com as pernas cruzadas e os pés opostos às coxas), mas ela pode ser difícil, especialmente para iniciantes.

A reenergização pode ser feita individualmente ou em grupo e durar apenas alguns minutos (varia de indivíduo para indivíduo, de acordo com a capacidade de concentração). O importante é fechar os olhos, tornar a respiração regular, massagear levemente cada um dos chakras, mentalizando-os se abrindo (como se fossem flores), absorvendo a energia que eleva e deixar o pensamento fluir: intuições, inspirações, lembranças e sentimentos adormecidos serão despertados lentamente.

O uso da visualização de cores é indicado por muitos estudiosos. São as seguintes: vermelho (chakra básico), laranja (genésico), amarelo (gástrico), verde (cardíaco), azul (laríngeo), anil ou índigo (frontal) e, por fim, violeta (coronário). Uma vez atingido o sétimo chakra, deve-se visualizar a cor prateada iluminando todos os centros e a dourada ao redor de todo o corpo (ou aura).

Com algumas alterações, este uso é adotado na aplicação do Reiki e na cromoterapia aplicada para a terapêutica espiritual. Quando são utilizados cristais, devem-se escolher os de cores semelhantes às acima citadas e posicioná-las aproximadamente sobre os chakras. De acordo com várias teorias, os cristais têm o poder de amplificar e conduzir melhor as energias.

Encerrada a reenergização, pode-se usar alguma técnica de meditação ou relaxamento, de acordo com as convicções de cada um, abrir olhos e dedicar-se a alguma atividade positiva: ler um bom livro, ouvir música e até mesmo namorar.

Mesmo se nada acontecer nos primeiros exercícios, o efeito final é revigorante, desde que o ritmo adotado não conduza à irritação, desconforto, maus pensamentos, etc. Nestes casos, pode-se acelerar a limpeza. Mas mesmo que ocorra algum incidente desagradável, não se deve interromper a reenergização, para não bloquear o canal de energia. O kundalini se desprende do solo de forma primitiva e mesmo agressiva, tornando-se mais depurado durante a ascensão, até desprender-se pelo chakra coronário e combinar-se com energias elevadas, purificadoras e até terapêuticas, absorvidas não apenas pela mente, mas também pelo organismo.

Em tempo: nos centros espíritas, os médiuns não tocam diretamente os próprios chakras, nem os dos assistidos (durante os passes): apenas aproximam as mãos, mantendo-as no campo energético. De acordo com a doutrina, a limpeza total dos chakras é reservada a médiuns atuantes; para os assistidos, de acordo com as necessidades observadas, são mentalizadas energia para apenas alguns.

Publicidade

Comente