Como manter as crianças longe das alergias

Sejam respiratórias, cutâneas, alimentares, a temporada é de alergia. Por isso, todo cuidado é pouco para proteger a saúde dos pequenos. Saiba como

As pesquisas revelam que as alergias são cada vez mais comuns entre as crianças: atualmente, uma em cada quatro crianças sofre desse problema. Respostas excessivas a determinadas substâncias, as reações alérgicas resultam num processo inflamatório que atinge diferentes órgãos, como nariz, pele, olhos, pulmões e intestino. Como cuidar dos seus filhos e evitar o aparecimento dessas doenças?

Publicidade

Dados

· De acordo com o Hospital Infantil Sabará, cerca de 10 a 20% das crianças brasileiras sofrem de asma, um problema caracterizado pela inflamação pulmonar, causando estreitamento dos brônquios (espécies de tubos que saem da traqueia e se dividem em outros brônquios menores. Eles permitem a circulação de ar nos pulmões) e dificuldade em respirar.
· Além da queda de temperatura nesta estação do ano, novos hábitos de vida, como permanecer em ambientes fechados, pouco ensolarados e propícios ao acúmulo de alérgenos (ácaros, insetos e epitélios de animais de estimação) são elementos que potencializam a doença. Altos níveis de poluentes também contribuem para este quadro.

· Os principais sintomas da asma são: cansaço ao fazer esforço físico, crises de chiado no pulmão, tosse, dificuldade para respirar e, em crises mais fortes, falta de oxigênio no organismo.

· Segundo a pesquisa, a rinite é outro tipo de alergia respiratória que chama a atenção para o quadro clínico, pois atinge entre 20% e 25% da população nas grandes cidades. Pessoas que possuem o problema costumam ter coceira, espirros, obstrução nasal e coriza.

Publicidade

· Assim como a dermatite atópica e de contato, a alergia de pele é a que mais afeta as idas das crianças ao dermatologista. Os sinais começam com vermelhidão, descamação e coceira, e também pode gerar lesão à pele devido às escoriações e complicar-se por causa dos processos infecciosos.

Cuidados

· Geralmente as alergias são hereditárias: se um dos pais possui o problema, a chance de os filhos terem é de 40%. Se ambos são alérgicos a possibilidade dobra.

· Prevenção nesse caso pode começar na barriga: estimular o aleitamento materno, ter hábitos de vida saudáveis, evitar ambientes repletos de alérgenos e alimentos que provocam o problema.

· Existem também tratamentos preventivos indicados para cada caso. Na asma, por exemplo, o indicado é que o tratamento seja feito de forma contínua, não somente quando ocorrem as crises.

Publicidade

Comente