Como organizar uma mudança

Mudando de casa? Saiba como organizar uma mudança sem transformar o dia em um caos.

Sempre que é preciso se mudar, surgem muitas dúvidas: por onde começar? O primeiro passo para organizar uma mudança é adquirir caixas de vários tipos e tamanhos (podem ser encontradas em supermercados), papel para embalar (folhas de jornal são excelentes), rolos de fita adesiva e plástico bolha. Comece empacotando as coisas de menos uso, como roupas fora da estação e livros (deixe por último os de consulta e os ainda não lidos). Objetos de decoração também podem ser guardados previamente, mas não deixe a casa muito “pelada”, para não dar a sensação de frio e aridez nos ambientes.

Publicidade

Malas e caixas também podem ser utilizadas para guardar acessórios, roupas e itens de decoração. Não use sacolas, já que, além de frágeis, acondicionam pouca coisa, não permitem o empilhamento e acabam tomando espaço excessivo no caminhão e no porta-malas.

Faça uma lista do que será necessário, considerando cômodo por cômodo. Faça um código para identificar as caixas (CZ para “cozinha”, por exemplo). Se o novo imóvel for menor do que o atual, é preciso considerar a doação de alguns móveis e utensílios, para não atravancar os ambientes. Considere não apenas o número de cômodos, mas também as suas dimensões, já que os empreendimentos construídos mais recentemente têm “economizado” nas medidas.

Aproveite também para descartar tudo o que não é usado (como os brinquedos antigos do filho já adolescente) ou está quebrado. Muitas pessoas têm compulsão por guardar coisas inúteis e a mudança acaba se tornando um bom momento para se livrar delas.

Publicidade

Algumas semanas antes da mudança, providencie o desligamento da energia, gás e água, transferência da linha telefônica e da TV a cabo. Algumas empresas trabalham com prazos “elásticos” – ou seja, elas demoram muito a prestar estes serviços. Se você está saindo de um imóvel alugado, não é preciso desligar água, luz e gás, mas retire seu nome da fatura.

Informe o novo endereço para parentes e amigos, e também para instituições bancárias, operadoras de cartões de crédito, seguradoras, etc. Não se esqueça de alterar o endereço de entrega de jornais e revistas, ou terá de gastar em dobro, porque eles continuarão a ser entregues no antigo endereço e você terá de ir até a banca se quiser se manter informado.

Programe o tempo para acondicionar objetos finos, como pratarias e porcelanas. Elas exigem maior cuidado e, assim, a tarefa se torna mais demorada. As caixas precisam ser mais resistentes (mas lembre-se de que todas as caixas devem ser reforçadas com fita adesiva larga, para evitar acidentes).

O orçamento

Peça um orçamento para três ou quatro transportadoras. Na hora da escolha, não avalie apenas o preço: verifique os serviços prestados e o seguro contra perdas e avarias. Algumas empresas oferecem empacotamento, montagem de móveis, araras para transporte de roupas, distribuição das caixas nos ambientes indicados pelo contratante, etc. São mais caros, mas reduzem as dores de cabeça resultantes de uma mudança. Nestes casos, só é preciso se preocupar em empacotar objetos que seguirão no carro da família para a casa nova, por serem caros e raros, ou simplesmente por serem de alto valor sentimental.

É importante levar em conta que o custo real só será definido após a visita de um vendedor avaliador da transportadora, que verificará as reais condições da mudança. O orçamento inicial é definido em função da distância entre os imóveis, área total, etc., mas pode ser majorado, por exemplo, quando há necessidade de acondicionar muitos objetos delicados.

A hora da mudança

Na semana da mudança, providencie uma boa faxina no imóvel. Limpar qualquer cômodo cheio de caixas e móveis desmontados dá muito mais trabalho. As lavagens de piso se tornam impossíveis.

Cuidado com o tamanho das caixas. Móveis e objetos grandes não precisam ser acondicionados. Se houver risco de danos, podem ser embalados com plástico bolha. Não use caixas muito grandes, porque elas são difíceis de ser transportadas e aumentam as chances de quedas (e das avarias consequentes).

Acondicione objetos semelhantes: roupas, CDs e DVDs, livros, brinquedos. Numere as caixas para cada cômodo (no nosso exemplo, CZ [cozinha] – caixa 1 de 6). Assim, você saberá quando todos os móveis e utensílios de um ambiente já tiverem chegado ao seu destino.

No momento do transporte, certifique-se de que móveis e objetos maiores cheguem antes do que os artigos miúdos. Sempre é possível colocar as caixas com talheres, louças e outros itens sobre o fogão, a pia ou geladeira, mas o contrário atrapalha bastante e demanda mais tempo.

Caso você não tenha optado pelo aluguel das araras, as roupas podem ser transportadas nas próprias gavetas ou em malas de viagem. Evite mochilas e sacolas, ou, além do trabalho em organizar a casa nova, será preciso um bom tempo para passar as roupas, porque elas chegarão totalmente amarrotadas. Se o novo imóvel tem armários embutidos, pode-se aproveitar os dias anteriores à mudança para transportar sapatos, acessórios e roupas nos cabides, fazendo algumas viagens de carro.

Fim da mudança, tudo no lugar, mas ainda é preciso organizar cada espaço. Aproveite para arrumar um cômodo de cada vez; do contrário, haverá eletrodomésticos, equipamentos e acessórios soltos por todos os cantos e a organização será muito mais difícil.

No primeiro dia, para não ter que abrir caixas e mais caixas, tentando encontrar o necessário para as primeiras horas, separe roupas de cama e uma muda de roupa para cada membro da família, itens de higiene e limpeza, além do necessário para as primeiras refeições e lanches.

Em tempo: não existe mudança fácil, mesmo que seja no mesmo prédio ou para o outro lado da rua. Se não houver necessidade de contratar um caminhão, é sempre conveniente contar com o auxílio de alguns ajudantes.

Publicidade

Comente