Como orientar os filhos sobre o abuso sexual

Por mais delicado que seja o assunto, ele é preciso ser discutido com as crianças. Conheça dicas sobre como orientar os filhos sobre o abuso sexual.

Não se cale perante ao abuso sexual de menores. É preciso estar em alerta para identificar se alguma coisa está errada com seus filhos, orientá-los sobre o problema de modo adequado para a faixa etária e denunciar caso fique sabendo do crime, mesmo que ele não aconteça na sua família.

Publicidade

Descubra de que maneira orientar os filhos sobre o abuso sexual através das dicas abaixo.

Atenção, sempre!

Mesmo que seja um assunto muito delicado, não deixe de conversar sobre ele com os filhos, ensinando que ninguém, nem o pai, irmãos ou demais parentes, deve tocá-los de modo impróprio.

Publicidade

Você pode ensiná-los quais são os comportamentos errados e certos de um adulto. Já que muitas vezes, a criança passa por determinadas situações de abuso e não compreende isso. É necessário explicar que não é preciso penetração para ser um abuso. Um exemplo disso é o assedio sexual pela internet, que é crime.

Nesse sentido, também é importante monitorar os conteúdos online que seus filhos acessam, sendo a melhor forma de prevenir os que os assédios da internet aconteçam na sua família.

Algo está errado…

Se a criança apresentar um comportamento diferente do que ela costuma ter no dia a dia, quer dizer que algo está errado. Claro que não quer dizer explicitamente que a criança tenha sido abusada, mas necessita de uma investigação.

Através de brincadeiras e jogos, as crianças trazem representações sobre o que vivenciaram. Preste atenção se seus filhos estão expondo algum sinal de abuso enquanto estão distraídas.

Se verificar violência, não espere: denuncie! Também vai ser preciso procurar por ajuda. O trauma que a criança sofreu não será superado. Para isso um psicólogo será recomendado para que a vítima não encare tudo e a todos como abusadores e não se torne insegura diante ao trauma vivido.

Perfil do agressor

Segundo especialistas, quem sente desejo por crianças sofre de distúrbios no desenvolvimento psicossexual. Ter esse tipo de atração não é saudável e nem aceitável.
Não é uma regra, mas, geralmente, o agressor é detectado por estar sempre com crianças por perto e evita o contato de outros adultos aos pequenos.

Não é raro que os agressores sejam parentes da vítima ou amigos próximos. Por isso, além de orientar o seu filho sobre o abuso sexual, que pode acontecer com pessoas próximas a ele, é importante saber quem você coloca dentro da sua casa. E também, qualquer tipo de relação com o agressor/suspeito deve ser cortada para a segurança da criança.

Abuso sexual é qualquer tipo de ato libidinoso, seja verbal, visual ou psicológico.

Publicidade

Comente