Como planejar financeiramente a maternidade

Um filho é o bem mais valioso que temos. Você tem condições financeiras para sustentá-lo?

Gerar um filho e ser mãe é o primeiro instinto da maioria das mulheres. Desde pequenas fomos educadas no sentido de que ser mãe é a realização máxima de qualquer mulher. Essa é a parte boa e romântica da maternidade. Contudo, a história não é bem assim. Nem sempre acontece, mas planejar-se financeiramente para criar os filhos é o mais correto. Qualquer casal que deseja um filho irá querer dar a ele tudo do bom e do melhor e hoje em dias as exigências são muitas. Colégio particular, roupas e calçados de qualidade, tecnologia e viagens. Tudo isso custa muito, sem levar em conta os gastos normais para manter o funcionamento da casa, com filhos ou sem. Você tem condições financeiras de ser mãe? Veja as dicas e tome sua decisão:

Publicidade

– A primeira coisa que nos debatemos é em conciliar as tarefas domésticas e o emprego. As mulheres trabalham tanto quanto os homens e não estão dispostas a abrir mão de suas carreiras profissionais. É preciso ter em mente que a jornada será pesada, com poucos momentos de lazer.

– Converse com seu parceiro sobre o melhor momento para engravidar. A vida financeira já estabilizou? Gastos com pré-natal, fraldas, vacinas, parto e hospital consomem boa parte da renda e até além. Se nem tudo está pacífico ainda, o recomendado é esperar algum tempo;

– Pense no espaço da sua casa e analise se há condições de mais uma pessoa viver nela com espaço e conforto. Muitas vezes as acomodações devem ser revistas. Reformas para ampliação ou aquisição de uma habitação maior são consideradas. A criança precisa ter seu espaço e os pais manter sua privacidade;

Publicidade

– Antes ainda de o bebê nascer já é preciso saber quem vai cuidar dele quando a mamãe voltar a trabalhar. Os pais que possuírem condições podem contar com o auxílio de uma babá. A contratação requer critério. Peça referências, verifique os locais em que a profissional exerceu suas atividades e dê preferência para aquelas que têm curso técnico em enfermagem. Faça uma entrevista meticulosa, afinal ela irá dormir na sua casa e zelar pelo seu bem mais valioso. Porém, nem todos podem contar com os serviços de uma babá. Nesse caso, a escolha pode recair em uma escolinha infantil. A recomendação é a mesma: cuidado. Visite vários estabelecimentos, converse com os pais. Inspecione se os brinquedos são seguros e não oferecem riscos para as crianças. A área de playground é grande e os professores são habilitados? As melhores escolinhas são as que cobram mais caro. Algumas mães, por questões financeiras ou insegurança, preferem algum parente, como avós ou tias, para assumirem os cuidados.

Em um primeiro momento é a melhor solução. Mas há que se ter em mente que elas também podem ter algum problema de ultima hora e você ficar na mão.
Enfim, criar um filho é uma tarefa imensa. E compensadora.

Publicidade

Comente