Como proteger seu coração

Mulheres também sofrem enfarte, principalmente na meia idade. Veja como proteger seu coração.

Preocupadas com outras doenças, como o câncer de mama, por exemplo, muitas mulheres se esquecem de cuidar do coração. Cada vez mais, na meia idade, o sexo feminino corre o risco de enfartar devido a diversos fatores. O estresse é um deles. Para você ter uma ideia, há 50 anos morriam 9 homens de enfarte para 1 mulher. Atualmente esse número se elevou consideravelmente. São cerca de 6 homens para 4 mulheres. A explicação está no fato de que as mulheres têm assumido muitas responsabilidades no trabalho e em casa, a famosa dupla jornada. Dessa forma, quanto mais cedo você começar a cuidar do coração, mais chances terá de afastar os problemas cardíacos da sua vida.

Publicidade

Mas como proteger o coração? A resposta é simples: prevenção. Comece pelo que você põe no prato. Evite frituras, embutidos, sal, açúcar e gorduras. Exercícios são fundamentais, no mínimo 3 vezes por semana. Afastar o cigarro e desestressar fazem parte do pacote.

Quando o coração começa a dar sinais de que algo não vai bem, os sintomas principais são dor no peito, coração falhando, tonturas, palpitações, falta de ar e tosse além do normal. Nessas condições, procure um cardiologista imediatamente.

O grupo de risco é grande. Fazem parte dele pessoas hipertensas que não fazem o controle da pressão, obesas, sedentárias, portadoras de diabetes, fumantes, com histórico de doenças de coração na família, idade e com colesterol alto. Apreciadores de álcool também correm risco.

Publicidade

A menopausa é um fator de risco. Os níveis de estrogênio reduzem muito quando a menstruação cessa. Quando isso ocorre, o organismo perde uma proteção que lhe era natural. Como há controvérsias no uso da reposição hormonal, o mais indicado é a mulher conversar com seu médico e discutir com ele o melhor tratamento.

O recomendado é que todas as mulheres, ao completarem 30 anos, procurem um cardiologista para fazer os exames de praxe. Mas quem já tem histórico familiar deve começar antes a prevenção. Não se esqueça de consultar um especialista se for iniciar uma atividade física.

Mulheres grávidas também correm riscos, já que nessa fase o coração funciona com sobrecarga. Algumas gestantes chegam a sofrer de pré-eclâmpsia, ou seja, elevação da pressão arterial. Diabetes gestacional também pode provocar o nascimento do bebê antes da época prevista ou com baixo peso. Se isso acontecer, é provável que a mãe tenha tendência a doenças cardíacas. Por isso é muito importante as gestantes fazerem o pré-natal e acompanharem de perto a pressão arterial.

Como você pôde ver, não podemos brincar com nosso coração. Cuide dele e viva mais.

Publicidade

Comente