Como saber se o seu ciúme está excessivo

Ciúmes em excesso detonam um relacionamento. Veja dicas para saber se este é o seu caso.

Quem nunca sentiu ciúmes na vida que atire a primeira pedra. Mas, infelizmente, quando este sentimento foge ao controle, não é raro relacionamentos chegarem ao fim. Há situações que realmente geram alguma insegurança ou sensação de ameaça. Com uma boa conversa, no entanto, os fatos são esclarecidos e tudo fica bem. Afinal, quem nunca sentiu ciúmes da colega bonitona do marido ou se sentiu excluída por não participar da churrascada dos colegas dele?

Publicidade

O sentimento se torna doentio quando a pessoa passa a ter constantemente pensamentos obsessivos de traição em relação ao companheiro (a). Por este motivo, uma fagulha pode provocar um enorme incêndio. Basta uma ligação para o celular, um comentário em rede social e até mesmo a compra de uma roupa. Pronto. Isto pode ser o estopim para a terceira guerra mundial.

Pessoas super ciumentas têm um padrão de comportamento. Elas passam a vigiar os passos do parceiro, fuxicam nos bolsos enquanto o outro está distraído, procuram no celular mensagens “suspeitas” e se facilitar, descobrem até a senha do e-mail para vasculhar mensagens. É neste ponto que o relacionamento começa a entrar em crise. Brigas e discussões passam a se tornar rotina. Mas quando evolui para a agressão física e escândalos, dificilmente a relação tem salvação. Infelizmente há casos de homicídios e suicídios em nome do ciúme.

Quem sente ciúme em excesso não consegue levar uma vida normal. O sentimento é tão devastador que o plano pessoal e profissional fica em segundo lugar. A atenção toda se volta para o companheiro. Tudo o que ele fala ou faz pode ser motivo de uma enorme discussão. Nenhuma pessoa consegue aguentar por muito tempo ser alvo de desconfiança e acusações infundadas. Se o ciumento for usuário de drogas ou consumir bebidas alcoólicas, a situação se torna realmente muito grave.

Publicidade

Quando a pessoa percebe que está passando dos limites e entende que precisa de ajuda, deve imediatamente procurar assistência psicológica. O ciúme em excesso pode estar escondendo casos de baixa autoestima, estresse, dependência química e doenças como depressão, transtorno obsessivo compulsivo (TOC) e esquizofrenia.

A pergunta é: dá para deixar de ser menos ciumento? Sim, desde que a pessoa tenha noção de que errou. É importante fazer uma análise e lembrar porque brigou, se os motivos eram verdadeiros ou foram aumentados por conta da insegurança. Houve diálogo ou não? Quando a situação geradora do ciúme se repetir, respire fundo. Não fantasie. Pense com a razão. Se você agir assim, verá que as razões para este sentimento tão arrasador não existem. Mostre-se segura para o seu amado e certamente ele irá lhe valorizar muito mais.

Homem nenhum gosta de mulheres com a autoestima baixa e histéricas. Confie em você mesma. Se você tentar prender seu companheiro, não irá demorar muito para ele cair fora.

Publicidade

Comente