Como se proteger com a vacina contra o HPV

A partir de 10/03/2014 meninas de 11 a 13 anos podem receber a primeira dose da vacina contra o HPV. Saiba mais lendo o texto abaixo.

O câncer de colo de útero é um dos que atinge com mais frequência as brasileiras. Os números são alarmantes. No país são registrados 18 mil novos casos de câncer de útero e 5 mil mortes relacionadas. Você certamente já ouviu falar do HPV ou papiloma vírus humano. Ele é transmitido através das relações sexuais e a maioria dos tumores de útero é provocada por este vírus. A partir de 10 de março de 2014, meninas entre 11 a 13 anos terão a oportunidade de se vacinarem contra o HPV gratuitamente. A vacina é mais eficiente nas pessoas que ainda não começaram sua vida sexual. A intenção é fazer com que no futuro as novas gerações estejam protegidas do HPV, diminuindo o número de pessoas contagiadas pelo vírus. Ainda que a garota já tenha iniciado vida sexual, a vacina deve ser realizada. O governo brasileiro pretende abranger em um futuro próximo garotas de 9 a 10 anos.

Publicidade

São cerca de 100 tipos de HPV e a vacina vai imunizar contra 4 tipos mais comuns. O 6 e o 11 são os responsáveis pelas verruguinhas, já o 16 e o 18 os causadores de cerca de 70% dos casos de câncer de útero. A vacina será oferecida pelo SUS e oferece proteção por 10 anos, a contar da aplicação da última dose.

Algumas reações colaterais leves podem surgir como náusea, dor de cabeça e febre baixa. Contudo, a Organização Mundial da Saúde já atestou a total segurança da vacina. São necessárias 3 doses para garantir a imunidade. A segunda deve ser tomada depois de seis meses da primeira e a última cinco anos depois da primeira dose. Portanto, se a garota tomar a vacina em março de 2014, somente em 2019 será assegurada sua total proteção. São cerca de 10 anos de cobertura, contando da última dose. A adolescente deve se dirigir ao Posto de Saúde munida de documento de identificação e carteira de vacinação.

Para facilitar o acesso, as escolas também podem realizar a vacinação, tanto as públicas como as privadas. Para isto se efetivar, a instituição de ensino deve firmar uma parceria com a Secretaria de Saúde do seu município. Caberá à escola encaminhar para os pais um aviso sobre a vacinação e a eles autorizarem ou não.

Publicidade

O HPV é transmitido até mesmo nas relações sexuais mantidas com preservativos. Há regiões do corpo humano que a camisinha não protege, como o saco escrotal.

Sexo oral e anal deve ser praticado com proteção. O HPV pode provocar câncer de boca, garganta e reto. Todo o cuidado é pouco.

Mas atenção. O fato de proteger-se contra a vacina não exclui a importância de fazer o exame Papanicolau regularmente. Esta é a melhor forma de prevenção e deve ser feita anualmente. O uso da camisinha também não pode ser descartado, pois ela protege de outras doenças como a AIDS.

Nas clínicas particulares a vacina quadrivalente como também é conhecida, será aplicada em homens e mulheres de 9 a 26 anos. O problema está no valor: R$ 400,00 a dose.

Na dúvida, converse com seu médico.

Publicidade

Comente