Como se proteger da dengue

Os casos de dengue estão quadruplicando no país. Veja como se proteger dessa doença que em alguns casos pode ser fatal.

Muitas pessoas não dão importância aos avisos do Ministério da Saúde, porém os casos de dengue estão aumentando cada vez mais. Nunca é tarde, contudo, para se prevenir. Os cuidados devem ser feitos o ano inteiro.

Publicidade

Para quem tem idosos em casa, a atenção deve ser redobrada. As pessoas com idade superior a 60 anos correm um risco bem maior de virem a falecer da doença. Os sintomas, no entanto, são iguais para todas as faixas etárias. Anote:

– Febre elevada acima de 38 graus;

– Muita dor de cabeça, inclusive atrás dos olhos;

Publicidade

– Dores musculares;

– A dengue é facilmente confundida com gripes ou resfriados. A grande diferença é que ela apresenta sintomas como dor de garganta e espirros. Fique atento a esses sinais.

O tipo hemorrágico é o mais grave de todos. A dengue desse tipo possui sintomas específicos. Confira:

– Sangramentos: pode haver ocorrências de sangramentos de qualquer tipo. Se sua gengiva sangrar, por exemplo, e você estiver com os sintomas descritos acima, procure um pronto socorro imediatamente;

– Dores abdominais: ocorrendo junto com os sintomas tradicionais de dengue, é sinal de algo mais grave;

– Muito sono: a sonolência é uma das características da dengue hemorrágica. Preste atenção se a pessoa está se queixando de cansaço, apatia e sono em excesso.

A prevenção é simples. Aplique repelente no corpo todo, com ênfase nas partes expostas. A picada pode ocorrer até mesmo por cima da roupa. Tome mais cuidado nos dias de calor. Os mosquitos gostam de sair no fim da tarde. Procure a Secretaria da Saúde da sua cidade e informe-se quais os lugares em que o mosquito tem se proliferado mais. A água parada é a casa do Aedes Aegypt, pois é ali que ocorre a reprodução do danado. Confira mais detalhes:

– Providencie para que a caixa d’água esteja sempre fechada;

– Esteja sempre de olho nas calhas. Remova folhas, galhos e qualquer outro acúmulo de sujeira que possa impedir a água de circular;

– Não deixe a água da chuva acumulada no chão da varanda, do jardim e de qualquer outro lugar da sua casa;

– Se você armazena água em tanques, faça semanalmente uma lavagem bem feita com escova e sabão;

– Tampe tonéis e barris de água;

– Coloque areia até a borda dos pratinhos dos vasos das plantas;

– Os vasos de plantas aquáticas também merecem cuidados. Uma vez por semana troque a água e lave internamente com água e sabão;

– Deixe suas garrafas de cabeça para baixo;

– Não guarde pneus velhos. Dê os mesmos ao serviço de limpeza urbana ou coloque-os em um lugar coberto e protegido da chuva;

– Não deposite lixo nos terrenos vazios. Coloque seu lixo em lugares apropriados e bem fechados em sacos plásticos.

Divulgue essas informações aos seus amigos e familiares e alerte a Secretaria de Saúde da sua cidade se você suspeitar de algum foco do mosquito nas proximidades onde mora.

Publicidade

Comente