Como se proteger da hepatite

A hepatite é uma doença sorrateira veja como proteger seu fígado no verão.

O risco de contrair a hepatite no verão aumenta consideravelmente. Sol, piscina e até a água de coco se constituem em uma ameaça ao nosso organismo. Para quem não sabe, existem três tipos de hepatite: A, B e C. Cada uma tem sintomas diferentes e os tratamentos são específicos. Não deixe que estas doenças atrapalhem seu verão e também a sua vida. Leia as dicas a seguir e confira como se proteger da hepatite:

Publicidade

Hepatite A

O risco de contrair a hepatite A no verão é bem maior. Se você for para a praia, preste atenção. Águas poluídas e alimentos cuja procedência é desconhecida são os grandes causadores desta doença. Desconfie de quiosques e lancherias cuja aparência não demonstre ser muito higienizada. Vegetais crus, frutos do mar, sucos e gelos merecem uma atenção especial. A hepatite A também é transmitida de uma pessoa para outra. Portanto, se você conhece alguém que está contaminado, não divida talheres, copos e outros objetos de uso pessoal. Mas como saber se alguém está contaminado pela doença? Os sintomas algumas vezes não são aparentes. Febre, pele amarelada, enjôos, vômitos, desconforto abdominal, falta de apetite, urina mais escurecida e fezes mais claras por sete dias são motivos suficientes para procurar um médico o mais rápido possível.

A prevenção está em justamente comer alimentos de qualidade, principalmente redobrando a atenção com os crus e com a higiene pessoal. Tratamento específico não existe, então o negócio é ter paciência e esperar o próprio organismo eliminar o vírus. Para não haver seqüelas no fígado, é necessário fazer repouso, beber muita água e se alimentar saudavelmente.

Hepatite B e C

Sangue, drogas injetáveis e objetos cirúrgicos contaminados são os grandes transmissores, além do contato sexual sem proteção. Assim como na hepatite A, os sintomas quase não são percebidos ou são bem semelhantes. A grande maioria das vezes somente em exames de rotina a doença é diagnosticada. O agravante é que a hepatite pode se tornar crônica e pior ainda: evoluir para uma cirrose ou câncer de fígado.

Publicidade

70% dos casos são transmitidos através de relações sexuais, portanto mais do que necessário previnir-se com camisinha. No salão de beleza jamais divida sua lixa, alicate e tesoura com outras pessoas. O ideal é que cada um leve seus próprios utensílios. Os homens devem ter seus próprios cuidados, entre eles evitando compartilhar lâminas de barbear. Existe vacina para a hepatite B. Infelizmente para a C não há imunização.

Não há tratamento quando a hepatite está bem na fase inicial. Havendo sintomas, tome as mesmas precauções da hepatite A. O especialista recomendará o uso de medicamentos antivirais.

A vacina pelo SUS deve ser incluída pelo Governo no calendário oficial de vacinação em 2014. Nas clínicas particulares você pode encontrar por um preço médio de R$ 100. A hepatite C é mais grave. Atualmente entre 5% a 20% dos pacientes crônicos quando não fazem o tratamento indicado pelo médico podem adquirir uma cirrose.

Hepatite é coisa séria. Faça exames de rotina anualmente ou quando houver alguma suspeita.

Publicidade

Comente