Como se proteger de miomas

Conheça um pouco mais sobre este tumor que assusta muitas mulheres.

O mioma é um tumor, mas benigno. Portanto, se você recebeu este diagnóstico não se preocupe. Ele causa alguns incômodos e desconfortos e atinge 6 a cada 10 mulheres. Conheça um pouco mais sobre os miomas:

Publicidade

TUMOR

O mioma é um tumor benigno. Não há risco de ele se tornar um câncer. Todo mioma é formado pelo próprio tecido uterino e aumenta em diversas posições no útero.

CHANCES

Acima dos 35 anos ocorrem a maioria dos casos. Os miomas precisam de hormônios para crescerem, por isto na menopausa o risco de eles aparecerem é bem menor, já que a produção cai nesta época da vida da mulher. A hereditariedade também não favorece muito. Mulheres que têm mães, irmãs e avós com este problema podem vir a sofrer do mesmo mal. As mulheres negras possuem 9 vezes mais chances de desenvolver miomas.

PREVENÇÃO

Não existe prevenção.

Publicidade

SINTOMAS

Alguns miomas são assintomáticos. Entre 4 a 5 mulheres têm mioma e não apresentam nenhum desconforto. Mas comece a desconfiar se você tem fluxo menstrual muito forte, com passagens de coágulos ou costuma sangrar fora do período. Outros sintomas são vontade de fazer xixi mais frequentemente, inchaço ou sensação de pressão na parte inferior do abdômen e dor durante as relações sexuais.

DESCOBERTA

Quando a mulher não sente sintoma algum, ela acaba descobrindo apenas nos exames de rotina como ecografias e exame de toque feito no consultório.

GESTAÇÃO

O mioma pode atrapalhar a gravidez da mulher. Nestes casos são indicadas cirurgias para remoção do tumor. Há mulheres que engravidam mesmo com miomas. Em situações assim o acompanhamento médico requer muito mais atenção, pois dependendo da posição que está o tumor, o bebê pode nascer prematuro.

TRATAMENTO

Antes de iniciar o tratamento, o médico irá avaliar sua idade, a saúde geral, os sintomas, tipo de mioma, se há ou não gravidez e se pretende ter filhos no futuro. Veja qual tipo de tratamento o médico pode recomendar:

–  Contracetptivos orais para ajudar a diminuir o fluxo menstrual;

– DIU, que terá a função de liberar a progestina, hormônio que reduz o fluxo forte e a dor;

– Suplementos ferrosos para prevenção ou tratamento da anemia, tendo em vista o forte fluxo menstrual;

– Anti-inflamatórios não esteroides para diminuir a dor e a cólica;

– Tratamento hormonal de curto prazo e à base de injeções para auxílio na redução dos miomas.

Quando for decidida a cirurgia, há duas opções: retirar apenas o tumor ou o útero inteiro. Quando a paciente está na menopausa ou a mulher não pretende mais ter filhos, o médico pode sugerir remover todo órgão.

Em raros casos, o mioma pode causar infertilidade.

Publicidade

Comente